Quando somos pais, é fácil cair no erro de nos projetarmos em nossos filhos, de tentar transmitir a eles, e em alguns casos, exigir nossos próprios sonhos, medos e anseios: tentar viver ou reviver como gostaríamos que nossa vida passasse. Por outro lado, diante dessa tentação, prevalece a realidade de que educar não é uma tarefa fácil.

A parte positiva é que, nesse tipo de problema, aparecem algumas regras que podem servir de referência para uma educação saudável. Uma delas é a aceitação incondicional: implica reconhecer a individualidade e a essência de nossos filhos, honrá-los e apreciá-los por quem eles são.

Quando você aceita, não permite rejeição, luta pelo poder ou tentativa de controle. Você apenas é guiado e acompanhado pelo amor. Não há outro resultado possível senão um indivíduo emocionalmente saudável, forte, seguro e um vínculo parental-filial com base no respeito mútuo.

Evite rotulá-los

Desde o nascimento das crianças, começamos a colocar adjetivos nelas: “ele é um bebê muito calmo”, “ele é uma criança muito vergonhosa”, “ele é muito desobediente “. Todas essas declarações aparentemente inofensivas acabam penetrando na mente dos pequenos e moldando sua personalidade.

Não apenas isso, quando rotulamos uma criança, estamos julgando-a. Estamos mostrando que tínhamos expectativas , que incluímos seu potencial dentro de limites que podem atuar como um empecilho para o seu desenvolvimento.

Além disso, em muitas ocasiões, podemos fazê-los realizar nosso desejo de que fossem diferentes, de que, se fossem, os amaríamos até mais.

Quando repetimos para uma criança que ela é muito tímida ou indisciplinada, expressamos nossa rejeição e nossa intenção de que ela seja mais sociável ou mais calma.

Se precisarmos corrigir nossos filhos, é melhor focar em comportamentos específicos . “Você tem que pegar os brinquedos depois de jogar, não é legal deixá-los no chão” é muito mais apropriado do que “você só faz uma bagunça, você sempre deixa tudo jogado pelo chão”.

Evite comparações

Pelo mesmo motivo, é necessário evitar comparações com irmãos, amigos ou outras crianças. Todo ser humano é diferente e as crianças também têm o direito de desenvolver sua própria personalidade. Além disso, não podemos passar a ideia de que o erro os torna piores.

Se você deseja incentivar seu filho a melhorar suas habilidades, faça uma comparação consigo mesmo. Convide-o para se destacar todos os dias. Mas não recorra a declarações como “aprenda com seu irmão” ou “seu primo é muito mais estudioso”.

Aceite seus filhos e acompanhe-os em seu próprio desenvolvimento

Faça um gerenciamento inteligente das expectativas que seus filhos geram em você. Lembre-se de que eles não nasceram para agradá-lo, para realizar os desejos que você deixou na estrada ou para alcançar os objetivos que lhe eram ilusórios.

Eles vieram ao mundo com o direito de viver suas próprias vidas, desenvolver seus próprios gostos e opiniões e cometer seus próprios erros.

Talvez você deseje que seu filho seja um atleta habilidoso; No entanto, ele ama arte . Talvez, com a sua melhor intenção, tente encorajá-lo a escolher um determinado caminho profissional quando seus desejos, ou mesmo dúvidas ou hesitações, podem seguir o outro caminho.

Da mesma forma, talvez a forma de se vestir, expressar ou até mesmo os amigos não correspondam ao que você esperava. Mas isso não significa que eles são piores, que você deve julgá-los ou tentar modificá-los. Em vez disso, concentre sua energia em tecer um fio para que essas diferenças não o afastem do ambiente familiar.

Descubra e aprecie quem eles são

Passe algum tempo com ele, tenha uma conversa leve, descubra quais são seus medos, seus objetivos e sua maneira de ver o mundo. Interesse-se por quem ele é e acompanhe-o em seu próprio desenvolvimento, porque aceitar não significa ficar à margem. O papel de pai e mãe é inestimável e inclui guiar, orientar e apoiar.

Sem dúvida, sua experiência de vida oferece uma perspectiva mais ampla que pode ser muito útil para seus filhos nos momentos de dúvidas e incertezas. No entanto, não tente impor, mas aconselhar.

Aceite incondicionalmente seus filhos. Fazer isso também os ajudará a aprender a se aceitar e formar sua personalidade. Para que não sejam julgados, limitados ou rejeitados. Para que tenham confiança para explorar, experimentar e, acima de tudo, ser quem deseja, sem culpa ou medo.

Traduzido do site: La mente es maravillosa

COMENTÁRIOS




Na casa do Rubem
Nossa missão é disseminar e eternizar o legado de Rubem Alves. Tocar o coração das pessoas despertando-as para o melhor que há nelas, otimizando assim os ambientes que as cercam.